Qualquer pessoa que tenha um sonho que o permita sair da jaula, o lugar comum, a zona de conforto, a estagnação, deverá tomar muito cuidado com colegas de “jaula”, os caranguejos humanos, os frustrados. Não utilizam a força física, ao menos em geral. Não necessitam fazê-lo. Têm outros métodos mais efetivos “a mão e em suas bocas: insinuações, dúvidas, ridículo, sarcasmo, sinismo, ironia, boicote, humilhação, mentira e outra dezena que foge ao meu vocabulário.

A sugestão é: mantenha suas metas distantes destes frustrados.

Frustrados não gostam de ver as pessoas perseguindo sonhos, se lembram que não vivem os seus. Ao convencer-nos da inutilidade dos nossos sonhos, nos convencem a seguir atados ao seu estado de comodidade. Nos dirá todas as mentiras racionais que dizem a si mesmos. E se não acreditarmos, certamente nos desaprovará.

Considere seu sonho como uma semente frágil. Agora é pequena, necessita de cuidados e proteção. Chegará o dia em que será forte, mais forte que as flechas das pessoas limitadas.

Quando tiver alcançado suas metas, poderá contar-lhes. Inclusive diante da irrefutável evidência, a expressão mais comum que ouvirá será: “Não acredito”. Se não podem crer diante da realidade, imagine o que diriam de nossos sonhos.

Isto não se aplica a amigos especiais e gente que nos apoia, que acredita em nosso potencial. Que diz: “Que bom, você merece!”.

Infelizmente, na maioria das vezes ouvimos: “Que coisa estúpida”, e uma série de argumentos e motivos pelos quais não poderemos realizar nossos sonhos. Devemos escutá-los com paciência, entretanto, alertá-los acerca de sua comodidade e de sua incapacidade de sonhar que os manterá firmemente presos na jaula até que esta seja levantada
Reações: 

IG